QUARTA FEIRA DE CINZAS INICIA A QUARESMA

Também há uma Vida depois do Carnaval

Vivemos numa sociedade esgotada – uma sociedade avozinha cuja fertilidade se extingue nela (1). Construímos uma sociedade livre mas pobre de sentido. Daí assistirmos a uma insatisfação generalizada de uma sociedade livre de sentido que proclama a libertinagem egoísta como estilo de vida.

Quarta-feira de cinzas inicia os 40 dias da renúncia ao supérfluo para se refletir sobre o sentido da vida e preparar o espírito para a Páscoa.

A Quaresma segue o exemplo de Jesus que jejuou 40 dias no deserto para resistir às tentações da vida. O número 40 tem um caracter simbólico e neste caso prepara para melhor se fazer face à vida. Também Elias fez uma caminhada até ao monte Horebe e Moisés andou 40 dias em torno do monte Sinai. Monte é símbolo de algo mais elevado, de algo a atingir e a caminhada é o símbolo da vida. Através da ascética purifica-se o espírito do pó da caminhada preparando para a Páscoa, símbolo e festa da morte e ressurreição.

Em conventos havia o hábito de monges e monjas, na prática do seu jejum, distribuírem-no pelos pobres o fruto (os produtos alimentícios) da sua renúncia e do que tiravam ao corpo. Assim se exercita o estar presente também para os outros. Muitos cristãos renunciam ao vinho, às guloseimas, à carne ou a outra comodidade durante a quaresma. Jejuar é mais que fazer uma dieta; Jejuar promove a saúde do corpo e da alma; é renunciar para que outros tenham mais da vida ou para a vida; na medida em que os outros têm mais também eu terei porque deles a vida transbordará também para mim.

Quaresma é tempo de metanoia (cada um terá a sua), é a fase da mudança para melhor se poder ver através da poeira e da intoxicação do nosso tempo e melhor entender o ruído à nossa volta. Não se trata apenas de uma cura de emagrecimento para aperfeiçoar o corpo mas também para se perscrutar também o sentido dele e o sentido da vida. Todos temos a experiência de que um estômago demasiado cheio impede a ideia e o sentimento.

Vivemos num tempo que nos leva à auto-exploração, num tempo de forças que nos querem ver na falta de noção, na inexperiência coletiva!

Muitos cristãos vão à igreja na Quarta-feira de cinzas e recebem na testa um sinal da cruz com cinza. A cinza recorda a transitoriedade lembrando-nos que também há uma vida depois do carnaval.

A quaresma com o seu apelo ao jejum tem uma componente individual, social, política e religiosa. A nossa sociedade precisa de momentos que nos recordem da necessidade de moderação.

António Justo

António Justo

  • António da Cunha Duarte Justo, Correspondente na Alemanha

http://antonio-justo.eu/?p=3476

(1)   Francisco I, no seu discurso ao parlamento europeu em 2014, denunciou a falta de vitalidade do continente europeu comparando europa com uma avó “que já não é fértil”.

 

 

 

The following two tabs change content below.
Paulino Fernandes
O BLOG Povo de Portugal é originado pelo título original de "Jornal Povo de Portugal". Nasceu em 19 de Novembro de 2007. Data em que nasceu o Jornal Povo de Portugal, editado durante vários anos em papel, foi percursor dos Jornais de Oleiros e de Vila de Rei. Percorreu a Europa, ligou os Portugueses espalhados pelo mundo com inegável sucesso. Vicissitudes várias, determinaram a suspensão que agora acaba, retomando as edições em online numa primeira fase como BLOG. Os insistentes incentivos de tantos Amigos espalhados pelo mundo, determinam a indispensabilidade de admitir esta medida que aqui anuncio com prazer e ambição. Voltaremos em breve a estar reunidos na defesa dos mesmos valores, dos mesmos objectivos, agora sob a designação de BLOG.