A Voz da Esperança, Papa Francisco.

Vivemos na religião mais desigual do Mundo; palavras ditas pelo Papa Francisco, quando se referia à grande assimetria social que se vive dentro da comunidade cristã, de que ele é o líder máximo, e, também um dia afirmou, que muitos de nós trata melhor os seus cães, do que os seus irmãos.

Como eu compreendo Francisco, porque ambos sabemos o que é a pobreza; eu que a vivi na pessoa, e Francisco, que conviveu diariamente com ela, nos guetos pobres de Buenos Aires – Argentina o seu país Natal.

Os verdadeiros cristãos, não podem deixar o Papa Francisco isolado com o “ónus” desta denúncia; porque quebra toda a essência de valores e deveres de um cristão.

Francisco sabe, que está em grande desvantagem face às forças em presença; que apostam na pobreza dos outros para fazerem fortuna; e ainda os que angariam os votos no meio dela para chegarem ao poder.

Não faz sentido que países como Portugal e Espanha que há mais de 500 anos foram pioneiros no missionarismo, tenham em poucos anos transformado as suas Nações, nas maiores fábricas de pobreza do mundo cristão; onde se juntam a Itália e a Grécia.

Tem sido precisamente nestes países, onde ultimamente mais tem crescido o número de milionários; a grande maioria deles, saídos das elites políticas que em nome do socialismo e da social-democracia, têm governado estes países.

Através dos tempos, a pobreza teve sempre destinatários e quem lucre com ela; mas não faz sentido que nos dias de hoje, se assista à maior assimetria de sempre no mundo cristão; que tem o dever de marcar a diferença sem a qual, está a perverter os ensinamentos de Jesus.

O Papa Francisco, “tocou frontalmente” nos verdadeiros artífices da pobreza Mundial; ou mais concretamente naqueles, que nada fazem para a debelar porque tiram benefícios dela.

Muitos fazem-no em nome da democracia, cujas leis são eles os próprios obreiros, para enriquecerem à custa delas; tudo em nome da “liberdade”, do socialismo e da democracia dos povos, onde muitos dos ideais resvalam para a ganância e a insensibilidade ao sofrimento alheio, em nome do poder do dinheiro que tudo compra; até a dignidade que muitos vão perdendo, sem se darem por conta. Francisco sabe que Deus entrega as mais importantes Batalhas aos Seus melhores soldados”, mas ninguém vence sozinho na vida; como um dia desabafou.

A dimensão de Francisco, há muito que ultrapassou a religião a que pertence que é o Cristianismo e tornou-se na voz Universal dos povos; em prol da justiça, da igualdade, e da fraternidade.

Francisco tenta sensibilizar o Mundo para o flagelo da fome, uma consequência da grande assimetria social no Planeta, que nunca sofreu como neste momento uma tão grande concentração da riqueza; não só entre pessoas, mas também Estados; muita desta assimetria nem é do conhecimento público.

Papa Francisco

Papa Francisco

Metade da riqueza do Planeta, está concentrada em apenas 62 pessoas, 8 dos quais no seu conjunto possuem 426 mil milhões de dólares, tornando cada vez mais difícil e inacessível, a sua distribuição a quem vive no limiar ou na pobreza extrema.

Francisco está determinado, a romper com alguns velhos paradigmas dentro da própria Instituição a que Preside, onde a postura perante a situação dos migrantes, lhe granjeou inimigos internos; mas ele é acima de tudo um missionário, que não irá desistir da sua missão; que é levar a esperança aos injustiçados, que já não são uma pequena minoria da população Mundial; que estão na origem dos muitos conflitos em curso, e de outros “mais graves” que nos esperam.

A notícia da possibilidade de Francisco vir a renunciar é falsa.

O Papa é um Homem corajoso, que não teme pela sua vida; como várias vezes o demonstrou, ao fazer-se transportar em carro aberto em países como o Brasil e as Filipinas entre outros.

O Papa Francisco é a voz da esperança; e muito poucos foram aqueles, que estiveram tão perto de Deus como ele.

  • Joaquim Vitorino

      Jornalista/Cronista  

Joaquim Vitorino

Joaquim Vitorino

PS: Ao Papa Francisco, a Voz da Esperança.

 

The following two tabs change content below.
Paulino Fernandes
O BLOG Povo de Portugal é originado pelo título original de "Jornal Povo de Portugal". Nasceu em 19 de Novembro de 2007. Data em que nasceu o Jornal Povo de Portugal, editado durante vários anos em papel, foi percursor dos Jornais de Oleiros e de Vila de Rei. Percorreu a Europa, ligou os Portugueses espalhados pelo mundo com inegável sucesso. Vicissitudes várias, determinaram a suspensão que agora acaba, retomando as edições em online numa primeira fase como BLOG. Os insistentes incentivos de tantos Amigos espalhados pelo mundo, determinam a indispensabilidade de admitir esta medida que aqui anuncio com prazer e ambição. Voltaremos em breve a estar reunidos na defesa dos mesmos valores, dos mesmos objectivos, agora sob a designação de BLOG.