EDITORIAL

A recente discussão sobre a descida da TSU para compensar míseros aumentos salariais e fixação de salário mínimo, obriga a reflexões de todos.

Portugal nivela sempre “por baixo”

As estatísticas dizem que a qualificação dos empresários nacionais em elevada percentagem é inferior à dos funcionários que lideram.

Gera, um problema de falta de visão empresarial, de capacidade de investimento e promoção do futuro e, até a um  incentivo para não estudar, aprender.

De facto, aprender e estudar, para quê?

As práticas empresariais em Portugal, visam sempre o enriquecimento rápido sem visão de investimento no futuro.

Felizmente há exemplos contrários que devem ser saudados, mas, a percentagem de exemplos contrários é abundante.

Descapitalizam as empresas, adquirem bens que não são resultantes de sucesso profissional, mas da descapitalização das empresas.

Há exemplos de todo o tipo.

Pagam salários baixos e o “resto” por fora prejudicando a segurança social e o fisco, mas também os próprios empregados que diminuem a capacidade de ter uma reforma decente.

Beneficiam da pouca alternativa de emprego e do medo dos empregados.

São actos indecorosos que não ajudam o futuro ou o crescimento expectável,menos ainda a necessária motivação individual.

Urge colocar um ponto final em tudo isto e ultrapassar a composição das actuais lideranças empresarias das Confederações patronais que exibem um baixo nível de qualificação e, necessáriamente, nada a esperar da concertação social que deveria ser um factor de desenvolvimento e criação de oportunidades e, assim não é.

O fausto que exibem é o inverso do insucesso empresarial das fábricas abandonadas que se encontram espalhadas por todo o país.

Lamentável.

abandono

abandono

abandono, insucesso

abandono, insucesso

PF

 

The following two tabs change content below.
Paulino Fernandes
O BLOG Povo de Portugal é originado pelo título original de "Jornal Povo de Portugal". Nasceu em 19 de Novembro de 2007. Data em que nasceu o Jornal Povo de Portugal, editado durante vários anos em papel, foi percursor dos Jornais de Oleiros e de Vila de Rei. Percorreu a Europa, ligou os Portugueses espalhados pelo mundo com inegável sucesso. Vicissitudes várias, determinaram a suspensão que agora acaba, retomando as edições em online numa primeira fase como BLOG. Os insistentes incentivos de tantos Amigos espalhados pelo mundo, determinam a indispensabilidade de admitir esta medida que aqui anuncio com prazer e ambição. Voltaremos em breve a estar reunidos na defesa dos mesmos valores, dos mesmos objectivos, agora sob a designação de BLOG.