EDITORIAL

O pantanal…

Portugal, estupefacto com tanto escândalo financeiro vai ficando inerte incapaz de reagir. O Ministério Público, acreditamos, não tem mãos a medir, por isso a demora, as prescrições. Não é caso para menos.

O Estado está “minado” de ex-jovens das “jotas”, hoje adultos, muitos oriundos de famílias pobres, podem hoje ao fim de poucos anos, exibir riqueza.

Em paralelo, crescente, o povo vai caindo na miséria mais profunda de que não mais sairá.

Os três últimos anos atiraram para a pobreza milhares de portugueses, famílias inteiras. Na miséria vão permanecer.

Em muitos países civilizados, para ser governante é necessário ter uma carreira profissional credível, formação apropriada, família estabilizada. Isso, dizem, evita tentações…

Em Portugal, não, por isso não nos podemos admirar…do que todos os dias sabemos.

Mas os casos são tantos que não é possível acompanhar, informar.

Muitos passam ao nosso lado e assim ficam para sempre…soterrados no pantanal…

4 meses depois o PS elege o hipotético candidato a Primeiro-Ministro

Hipotético, pois não é certo que o vencedor destas Primárias venha a ser candidato a Primeiro-Ministro. Se António José Seguro vencer o que se afigura extremamente difícil, será ele o candidato a encabeçar as listas do PS.

Mas, se for António Costa como todos os dados indicam, teremos ainda de aguardar por um Congresso que legitime o Secretário-Geral e, aí, pode nem ser o vencedor das Primárias a ser o líder do PS e, sendo assim, não será candidato a Primeiro-Ministro.

Difícil de perceber? Sim, é.

Portanto, se António Costa vencer, só daqui a 2 meses (pelo Natal…) saberemos se venceu o Congresso e se é candidato a Primeiro-Ministro.

Mas, pelo menos, este Domingo, 28 de Setembro, teoricamente…a vergonha a que se foi assistindo terá terminado.

Director

Director na Cova da Moura

Director na Cova da Moura

The following two tabs change content below.
Avatar
O BLOG Povo de Portugal é originado pelo título original de "Jornal Povo de Portugal". Nasceu em 19 de Novembro de 2007. Data em que nasceu o Jornal Povo de Portugal, editado durante vários anos em papel, foi percursor dos Jornais de Oleiros e de Vila de Rei. Percorreu a Europa, ligou os Portugueses espalhados pelo mundo com inegável sucesso. Vicissitudes várias, determinaram a suspensão que agora acaba, retomando as edições em online numa primeira fase como BLOG. Os insistentes incentivos de tantos Amigos espalhados pelo mundo, determinam a indispensabilidade de admitir esta medida que aqui anuncio com prazer e ambição. Voltaremos em breve a estar reunidos na defesa dos mesmos valores, dos mesmos objectivos, agora sob a designação de BLOG.