O Labour britânico vira à esquerda

Praticamente desconhecido há um par de meses da opinião pública da Europa continental, Jeremy Corbyn, um vegetariano de 66 anos, conseguiu ascender este sábado ao trono do segundo maior partido político do Reino Unido, com 59,5% dos votos.

Corbyn, que ao início nem esperava vencer as eleições do Partido Trabalhista, conseguiu falar ao coração de grande parte do eleitorado de esquerda ao repudiar a atitude pró-empresarial do antigo líder Tony Blair e ao defender medidas como a criação de um imposto sobre a riqueza, o desarmamento nuclear e ainda ao mostrar alguma ambiguidade acerca da pertença à União Europeia.

A vitória é um mandato claro para pegar num partido com 115 anos de história e regressar às raízes do socialismo, enquanto atira pela janela a bula política que dita que as eleições britânicas só podem ser vencidas com o apoio do centro.

Estamos a desafiar a narrativa do: ‘o que importa é o individuo e o colectivo é irrelevante’”, declarou, na quinta-feira, o agora líder trabalhista, naquela que foi a última acção de campanha antes da ida às urnas.

Seguiram-se aplausos e aclamações de todos os cantos da sala.

Curiosamente, já que se fala de alguém que segue os ensinamentos de Karl “A religião é o ópio do povo” Marx, o comício decorreu numa antiga igreja no norte de Londres.

Dizemos antes que o bem comum é uma desejo de todos nós”, afirmou o activista anti-guerra, que é também um admirador de Hugo Chávez, o falecido líder venezuelano que tinha os Estados Unidos como principal alvo das suas críticas.

Vestido frequentemente ao estilo de um professor universitário, com uma colecção de canetas a espreitar pelo bolso da camisa a condizer, Corbyn prometeu voltar a nacionalizar indústrias que nas últimas décadas passaram para mãos privadas, emitir moeda para investir em infraestruturas e aumentar os impostos para as empresas e para os ricos.

Raramente utiliza a primeira pessoa do singular – “eu” – um traço de personalidade que os analistas atribuem ao seu desejo de liderar o Partido Trabalhista sem aquilo a que Corbyn chama a tendência para o “control-freakery” de cima para baixa: o controlo apertado exercido durante a era Tony Blair, entre 1994 e 2007.

As coisas podem e devem mudar”, disse Corbyn este sábado no discurso de vitória, que arrancou com críticas aos média britânicos e que acabou com uma promessa de conseguir justiça para os pobres e oprimidos.

Assim que as palmas pararam, saiu o novo chefe da oposição britânica.

Foi participar numa manifestação de apoio a refugiados do Médio Oriente, em Trafalgar Square.

 

The following two tabs change content below.
Avatar
O BLOG Povo de Portugal é originado pelo título original de "Jornal Povo de Portugal". Nasceu em 19 de Novembro de 2007. Data em que nasceu o Jornal Povo de Portugal, editado durante vários anos em papel, foi percursor dos Jornais de Oleiros e de Vila de Rei. Percorreu a Europa, ligou os Portugueses espalhados pelo mundo com inegável sucesso. Vicissitudes várias, determinaram a suspensão que agora acaba, retomando as edições em online numa primeira fase como BLOG. Os insistentes incentivos de tantos Amigos espalhados pelo mundo, determinam a indispensabilidade de admitir esta medida que aqui anuncio com prazer e ambição. Voltaremos em breve a estar reunidos na defesa dos mesmos valores, dos mesmos objectivos, agora sob a designação de BLOG.