Estatísticas APAV | Relatório Anual 2020

A APAV divulga hoje as Estatísticas APAV | Relatório Anual 2020.

Os dados estatísticos disponibilizados reportam-se aos processos de apoio desenvolvidos presencialmente, por telefone e online, no ano transato, pelos 69 serviços de proximidade da APAV.

Face ao trabalho desenvolvido em conjunto com autoridades e entidades nacionais e internacionais, a APAV apoiou diretamente 13.093 pessoas, de um total de 66.408 atendimentos nos vários serviços de proximidade (Gabinetes de Apoio à Vítima, Equipas Móveis de Apoio à Vítima, Polos de Atendimento em Itinerância, Sistema Integrado de Apoio à Distância, Sub-Redes Especializadas, Casas de Abrigo e Linha Internet Segura).

Cerca de 75% do total de vítimas diretas de crime eram do sexo feminino. As faixas etárias mais frequentes situavam-se entre os 25 e os 54 anos de idade, representando um total de 38,3%.

Já de um total de 13.093 vítimas diretas, a APAV registou 13.113 autores/as de crime. Destes, 65% eram do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 35 e os 54 anos (21,1%).

Destacamos que a APAV:

• Recebeu uma média de 38 chamadas por dia;

• Apoiou vítimas diretas de 290 municípios dos 308 existentes (94% do território nacional);

• Registou 19.697 crimes e outras formas de violência;

• Promoveu 1.227 atividades formativas (48% destinadas a crianças e jovens).

A atipicidade do ano de 2020, ano pautado pelo aparecimento da pandemia causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, viu o seu reflexo em alguns dos indicadores recolhidos e analisados neste relatório e que, oportunamente serão identificados.

Ainda assim, a APAV procurou ultrapassar as dificuldades encontradas e conseguiu superar-se face ao ano anterior, respondendo aos desafios encontrados. Estivemos na linha da frente, demonstrando a essencialidade dos serviços que disponibilizamos.

Estatísticas APAV | Relatório Anual 2020 (PDF)

Para mais informações:
comunicacao@apav.pt | 21 358 79 15

The following two tabs change content below.
Avatar
O BLOG Povo de Portugal é originado pelo título original de "Jornal Povo de Portugal". Nasceu em 19 de Novembro de 2007. Data em que nasceu o Jornal Povo de Portugal, editado durante vários anos em papel, foi percursor dos Jornais de Oleiros e de Vila de Rei. Percorreu a Europa, ligou os Portugueses espalhados pelo mundo com inegável sucesso. Vicissitudes várias, determinaram a suspensão que agora acaba, retomando as edições em online numa primeira fase como BLOG. Os insistentes incentivos de tantos Amigos espalhados pelo mundo, determinam a indispensabilidade de admitir esta medida que aqui anuncio com prazer e ambição. Voltaremos em breve a estar reunidos na defesa dos mesmos valores, dos mesmos objectivos, agora sob a designação de BLOG.