• Quem foram os Comandantes das Companhias de Comandos nas três frentes

    Quem foram os CMDT’S das Companhias de Comandos ( Em desenvolvimento e actualização) 1ª Angola – Cap. Albuquerque Gonçalves (Hoje General) e depois o Cap. Raúl Folques (Hoje Coronel) 2ª Cap. Jaime Neves, mais tarde CMDT do Regimento ...

  • EM CADA HUMANO DESCANSA UM VASCO DA GAMA E UM ULISSES

    Entre dor e sofrimento se gera o contentamento António Justo A história de aventura de Homero mostra como o herói Ulisses (1) consegue navegar por um estreito basicamente intransponível. Este estreito é guardado por dois poderosos monstros ...

  • Sporting Campeão

    Sporting Campeão . Frederico Varandas e Ruben Amorim, os Homens do leme A época de 2021/21 assinala o regresso do Sporting às vitórias e aos palcos internacionais. Conjugação de vontades, visão e capacidades várias, determinaram o sucesso. ...

  • Retratos de hoje e de antes” uma viagem a inícios do século XX pelo Grupo de Folclore Casa de Portugal

    “Retratos de hoje e de antes” uma viagem a inícios do século XX pelo Grupo de Folclore Casa de Portugal O Grupo de Folclore Casa de Portugal, sedeado no Principado de Andorra, inaugura na próxima sexta-feira no Centro Cultural La ...

  • 25 de Abril com contenção, mas celebrado

    EDITORIAL O 25 de Abril de 2021, 47 anos após a vitória da Democracia sobre a ausência de liberdades, o fim do medo, a caminhada para novos valores, acontece este ano num momento de pandemia que a todos afecta e, como sempre, mais a uns que a ...

Últimas Notícias

  • EDITORIAL

    25 de Abril de 202147 anos após a vitória da Democracia sobre a ausência de liberdades, o fim do medo, a caminhada para novos valores, acontece este ano num momento de pandemia que a todos afecta e, como sempre, mais a uns que a outros. Não vamos assim marchar na avenida, mas celebramos. Importa meditar nos que estão de novo a ficar para trás, no desemprego, nos que para sempre cairão sem hipótese de recuperar. Importa meditar sobre o que fazer com as ameaças à liberdade de imprensa, nos que produzem notícias enganadoras empurrando para o desaire e para o regresso a algo que não queremos mais. Pensar ainda como explicar aos que nasceram depois do 25 de Abril de 1974 e não sabem a miséria e a ignorância que caracterizava o país nem conheceram a guerra em África que ceifou vidas e destruiu bens materiais, impedindo o investimento no desenvolvimento que não existia porque todos os recursos eram canalizados para a guerra. Em suma, muito para refletir, mas celebrando sempre o 25 de Abril e o que representa para um povo. PF

  • EDITORIAL A pandemia que persiste e não se vê como pode terminar, apesar de tanta notícia sobre vacinas, tememos que as mesmas demorem e se arrastem no tempo, mesmo depois de chegarem aos diferentes países, teremos pela frente um enorme problema de logística e depois vacinação. Demorará muitos meses depois de chegarem as vacinas até as mesmas terem efeito na população, restando saber qual o efeito e a validade do tempo após a vacinação. Ou seja, depois de vacinado, quanto tempo permanece a imunidade? Sucedem-se as manifestações a pedir apoio lancinante em alguns sectores, o comércio em geral, a restauração, a cultura, etc, etc. Pedimos porque estamos em desespero e nem conseguimos pensar de onde poderá vir tanto dinheiro? Há aproveitamento político extremo, nenhum governo faria melhor e mais valia pensar, ser prudente e pedir sim, mas com critério. É inegável que por mais apoios, muitas empresas ficam sem futuro. O turismo em que assentava a economia, desapareceu e com ele tornaram-se obsoletos imensos negócios que nem vale a pena serem apoiados, pois, depois do apoio fecham mesmo e em definitivo. Em Lisboa fecharam já 111 lojas de todo o tipo. Muitas mais vão fechar. A quantidade inusitada de restaurantes e cafés que faz lembrar a enorme quantidade de indivíduos candidatos às Eleições Presidenciais, só é possível em Portugal e, tememos que os populistas que se manifestam e são apoiados por imensa imprensa, arrastem o país para soluções políticas indesejáveis e que só piorarão as condições dos actuais carentes que verão de novo a força a esmagar soluções. É muito complicado em Democracia manter a ordem nestas circunstâncias. Caminharemos para uma ditadura a breve prazo? É isso que os cidadãos querem? A fome é má conselheira, sabemos bem do que falamos e, um povo genericamente inculto, que não lê e não se cultiva, é instrumento fácil de manejar. Reflitam enquanto estão a tempo. Director

  • . José Mourinho aceita desafio bem duro . O regresso de José Mourinho é saudado em todo o mundo José Mourinho será o novo treinador do Tottenham, sendo o escolhido para suceder no cargo a Mauricio Pochettino, despedido esta terça-feira, devido aos maus resultados da equipa do norte de Londres.

    Será o regresso de Mourinho ao activo e ao futebol inglês, onde orientou o Manchester United e o Chelsea, este em duas ocasiões. Recorde-se que o treinador português, de 56  anos, está sem trabalhar há cerca de um ano, quando foi demitido do comando do Manchester United. O Tottenham encontra-se atualmente no 14.º lugar da Premier League, com 14 pontos em 12 jornadas (três vitórias, cinco empates e quatro derrotas). Tem bem encaminhada a qualificação para os oitavos de final da Liga dos Campeões, com 7 pontos em quatro jornadas. [caption id="attachment_4442" align="alignnone" width="150"] Mourinho[/caption]

  • Vítima de doença prolongada, faleceu o Mestre em Direito, um dos Fundadores da Democracia em Portugal [caption id="attachment_4419" align="alignnone" width="150"] Diogo Freitas do Amaral com Sá Carneiro, Mário Soares e A.Cunhal [/caption] Oriundo da Democracia Cristã, fundou o CDS e, alguns anos depois, aproximou-se do Centro - Direita e estabeleceu pontes com Mário Soares, por exemplo e antes com Sá Carneiro. Frontal, extremamente culto, insigne Mestre, travou com Mário Soares uma épica "batalha" nas Presidenciais que perderia por pouco. Tornaram-se de adversários, em grandes Amigos. Diogo Freitas do Amaral exerceu diferentes e importantes cargos políticos, incluindo as Nações Unidas, afastando-se do CDS. Conhecia bem o problema da Monarquia em Portugal e, por diversas vezes reuniu com Dom Rosário de Bragança, reconhecendo que Dona Maria Pia era uma Princesa de Portugal, sucessora de Dom Carlos I. [caption id="attachment_4420" align="alignnone" width="150"] Diogo com Dom Rosário de Bragança[/caption] As condições políticas em Portugal não permitiram que tal desígnio fosse conseguido, nem é hora agora de entrar nessas matérias, e pelo contrário, é hora de apresentar condolências em nome da Casa Real de Portugal, particularmente de Dom Rosário, ( que aqui expresso devidamente autorizado para o efeito). Nota da Direcção: O Director e Colaboradores apresentam sentidas condolências à Família e Amigos

  • A primeira geração de portugueses na Suiça está a chegar à reforma e a pensão é demasiado baixa para o custo de vida. Só em 2018 regressaram mais de 10 000, o dobro de 2013. As rendas de casa são muito altas, o seguro de saúde individual importa mensalmente em mais de 500 euros. As reformas, pouco superiores a 2000 euros, não permitem continuar a viver de forma positiva. Nuno Santos, presidente da Associação de Apoio à Comunidade Portuguesa na Suiça, diz que há " quem tenha dívidas porque o salário não chega ou está no desemprego ". A recente alteração de informação financeira entre países da OCDE, permitiu ao fisco suiço saber se o património adquirido é todo declarado e, muitos portugueses nunca o fizeram e são agora obrigados a declarar. O fisco faz depois os acertos que estão a colocar a comunidade em pânico. O programa do IEFP "regressar", está a ser bastante utilizado. O apoio pode atingir 6 536 euros. A redução do IRS em 50% para quem emigrou até 31 de Dezembro de 2015 e regresse em 2019 ou 2020 e não tenha residido em Portugal nos últimos 3 anos, não tenha dívidas à segurança social ou finanças é um factor positivo. Outros apoios são a redução em 20% no IRS durante 10 anos e não exige que tenham emigrado até 2015, precisando apenas de não ter vivido em Portugal nos 5 anos anteriores. A isenção de impostos relativos às reformas é outro apoio significativo durante 10 anos. A generalidade dos portugueses que regressam, possuem a sua casa própria em que investiram ao longo dos anos, são apenas surpreendidos pelo regresso a aldeias já praticamente "sem vida"... O Portal das Comunidades diz que há gabinetes em 157 Câmaras, 142 já a funcionar e os restantes em fase de instalação, outro apoio a consultar. Na Suiça há 3 tipos de autorização de residência: O "Permis L" é uma autorização anual que originou em 2018, 924 regressos. O "Permis B", autorização de 5 anos, originou 3 804 regressos e o "Permis C", autorização definitiva, originou 5 526 saídas, sendo que no total, em 2018 regressaram mais de 10 254 pessoas. PF

    • Fontes: Expresso e IEFP.

  • Visitas guiadas para turistas ao percurso de arte urbana no Bairro da Torre
    Sábado, logo pela manhã, o Bairro da Torre acolheu 18 jovens de várias nacionalidades para uma visita guiada à galeria de arte cujas telas são as empenas dos prédios do bairro. Um percurso através de um verdadeiro museu de arte urbana com obras de vários artistas que não deixa ninguém indiferente. É esta a nova aposta da Associação "Somos Torre" que promove as visitas guiadas e está a ser um sucesso. Neste momento são 23 as empenas transformadas em arte por vários artistas. Tudo começou em 2016 com a terceira edição do Festival de Arte Urbana Muraliza. Depois de duas edições bem sucedidas do festival, e havendo necessidade de identificar novos espaços para expressar a arte, a Câmara Municipal de Cascais, em parceria com a associação de moradores, trouxe ao Bairro da Torre vários artistas. A mudança, além da cor e beleza, fez sentir a outros níveis. Nesse ano, da parceria entre a Fundação “O Século” e o Clube das Gaivotas da Torre - Associação Juvenil, nasceu a Associação "Somos Torre", um projeto de empreendedorismo social no âmbito do programa "Take.it" que assenta na premissa de que todos têm um talento, uma vocação. Apenas precisam de oportunidade e contexto para identificá-la. Rapidamente, o bairro transformou-se em motivo de atracção turística, juntando-se mesmo a música com a primeira edição do Festival do Infinito. Tal foi o sucesso que, este ano, está já em preparação, envolvendo todos os serviços municipais que trabalham com jovens, a segunda edição do Festival do Infinito, que irá acontecer em 2020. Para José Avelino, presidente da Associação "Somos Torre", a associação veio ajudar a requalificar a comunidade que estava muito vandalizada. "Ao fazermos estes trabalhos no Bairro envolvemos toda a comunidade e conseguimos criar um espírito de preservação e conservação destas obras, por parte de toda a comunidade”, explica. “As vistas guiadas que fazemos são uma forma de abrirmos o Bairro ao Mundo, trazendo outras pessoas à nossa comunidade”, acrescenta Claudino Brito, vice-presidente da "Somos Torre". Os dois mentores deste projeto são unânimes: "os moradores em geral, e os jovens em particular, estão apostados em desfazer a ideia de que o Bairro da Torre é um bairro problemático do concelho de Cascais". Mas como se consegue operar esta transformação? Através da cultura. "Esta tem sido uma das apostas da Associação "Somos Torre" para lutar contra esse estigma", explicam. Por outro lado, e dada a experiência dos jovens nesta área, vai em breve arrancar outro projeto: RANart, um dos projetos de jovens a ganhar financiamento através do programa "Up 2 YOUth", promovido pela FatorC, com o apoio da Câmara Municipal de Cascais. Até 3.000 euros, estes projetos visam ajudar os jovens a desenvolver competências transversais através da criação e implementação das suas próprias ideias, envolvendo e impactando a comunidade em que estão inseridos. As expectativas são muito animadoras, pois os jovens têm deixado marcas muito positivas no bairro, revelando outras facetas da comunidade. Sobre a Associação "Somos Torre" | Foi formada no âmbito do Projeto do Take.it - Talentos e Artes com Criatividade e Empreendedorismo, enquadrado pelo Programa Escolhas – gerido pela Ideias Oblíquas. Nasceu da parceria entre a Fundação “O Século” e o Clube das Gaivotas da Torre - Associação Juvenil. Trata-se de uma resposta inovadora para os jovens residentes nos territórios da Torre e da Galiza no concelho de Cascais.

  • Manuel Pinto Luz, Vice-Presidente da Câmara de Cascais liderou a comitiva que em Roma entregou a Chave de Ouro da Vila ao Papa rancisco. Foi, evidentemente um momento marcante para Cascais, mas também para Portugal. No oportunidade foram dados passos significativos para Cascais aprofundar a ligação à rede Scholas Occurrentes que já em 2018 envolveu 180 jovens de Cascais nas suas actividades, estando agora sedeada na Escola Conde Ferreira. Desenvolvimentos em breve.

  • Entramos na semana do 25 de Abril.

    A data é para celebrar, marchando na Avenida da Liberdade para que a data não esqueça e seja celebrada como data libertadora.

    Que cada um celebre nas suas terras, em todo o lado, mas, de preferência nos grandes centros onde tudo se multiplica e decide.

    Por isso, 5ª feira, de novo lá estaremos.